sábado, 30 de agosto de 2014

80% das escolas do município têm funcionamento regular

A Prefeitura de São Luís está garantindo o pleno funcionamento das atividades educacionais e nutricionais em mais de 80% das escolas da rede municipal de ensino, que não aderiram ao movimento organizado pelo Sindicato dos Professores. Esta semana, o titular da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Geraldo Castro, visitou algumas dessas unidades para acompanhar o funcionamento e a rotina de trabalho desempenhado nessas escolas.

Uma das unidades visitadas pelo secretário foi a Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Rubem Goulart, na Cohab, que atende a quase mil alunos, nos três turnos. A escola é uma das quais todas as atividades socioeducativas e de segurança alimentar estão sendo desenvolvidas, assim como as ações extracurriculares previstas no cronograma letivo. A rede municipal de ensino tem um total de 252 unidades básicas de ensino fundamental e infantil.

“Estamos trabalhando muito para garantir o funcionamento das unidades em sua plenitude. Tivemos um retorno significativo de professores ao trabalho, fazendo com que atingíssemos um índice de 80% de unidades em funcionamento total ou parcial. Isso nos possibilitou resgatar o dia a dia das escolas e manter as atividades educacionais costumeiras para garantir a permanência das crianças em sala de aula, com atividades de esporte, culturais, merenda escolar e todas as demais ações inerentes à comunidade educacional”, afirmou Geraldo Castro.

O secretário garantiu que o calendário escolar vai ser totalmente cumprido dentro da reposição necessária, nas escolas onde houve a paralisação. Já nas unidades que não pararam, a conclusão das atividades será dentro do calendário previamente firmado. “O fato é que teremos o respeito total à Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), garantindo todo o cumprimento de dias e horas letivos preconizados pela lei”, garantiu o secretário.

Segundo ele, o mais importante é que seja feita a organização do calendário, com apoio dos professores. “Estamos no momento em que o entendimento é do interesse de todos os setores e não devemos permitir que as perdas por essa situação recaiam sobre nossos alunos. Temos de garantir que recebam suas aulas e que participem de todas as atividades escolares previstas”, enfatizou.

NEGOCIAÇÃO

A greve dos professores foi decretada ilegal pelo Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA). O posicionamento foi reafirmado no último dia 15 deste mês, quando as Primeiras Câmaras Cíveis Reunidas, órgão colegiado do TJMA, votou, por unanimidade, pela ilegalidade do movimento paredista. A decisão contrariou recurso do Sindeducação e reiterou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que também já havia considerado a greve dos professores ilegal. Em todas as decisões, a Justiça ordena o retorno imediato dos professores ao trabalho.


“A Prefeitura participou de todas as rodadas de negociação com a categoria, sempre com a presença de representantes da Semed. Nessas conversações tivemos avanços significativos. Não é do interesse da Prefeitura nem da categoria que tenhamos o prolongamento dessa situação”, declarou Geraldo Castro.

O movimento do Sindeducação e os interesses eleitorais de Edinho Lobão

Mostrando que está a serviço do grupo responsável pelo atraso do Maranhão, a presidente do Sindeducação foi destaque no programa eleitoral de Lobão Filho

do Blog do Jorge Vieira (com acréscimos)

Presidente do sindicato participou de programa eleitoral de Edinho Lobão

Todo mundo notou desde o início a atenciosa cobertura que a Difusora de Edinho Lobão deu ao exagerado e tresloucado movimento realizado pelo Sindeducação. Sendo o empresário e suplente de senador avesso desde sempre aos movimentos e temáticas sociais, poderia até ter soado estranha a imensa quantidade de matérias sobre a greve que tomou conta de todos os jornais da emissora.

Mas o horário eleitoral desta sexta-feira não deixou nenhuma dúvida de que os interesses do movimento são apenas os de colher dividendos eleitoreiros. Nada a ver com o bem estar da valorosa categoria de professores. No programa eleitoral de Edinho divulgado hoje, nada menos que três integrantes do movimento dão entrevistas voluntariamente – incluindo a presidente do sindicato, Elisabeth Castelo Branco.

O movimento alega oficialmente não ter ligações ou financiamento partidários, mas não pareceu ter qualquer problema com a exploração política do seu movimento por parte dos aliados da família Sarney. Estranho que eles não se incomodem de fazer parte do programa de um grupo político que destruiu a educação do maranhão, colocando – a nos piores índices do país. Entende-se, agora, porque esticar tanto uma interrupção fora de tempo e sem sentido no calendário escolar, prejudicando tantas crianças.

Outro dado curioso: o programa foi ao ar exatamente no mesmo dia em que os integrantes do movimento recusaram a última proposta oferecida pela Prefeitura de São Luís. Depois que todo o processo de saída da greve havia sido costurado conjuntamente entre as partes e com a mediação do Ministério Público. A direção do sindicato recusou. E errou feio, condenando a categoria a um movimento suicida e que não pode trazer ganho nenhum para mais ninguém – exceto, claro, para os que não cessam de colher dividendos eleitoreiros.

Destaque-se que os problemas na área da educação do município não se de hoje, nem de ontem. São de vários anos. Os líderes do movimento grevistas sabem bem como a gestão de Edivaldo Holanda recebeu a educação. Com escolas precisando de reformas, equipamentos e etc. Era o caos. No primeiro ano da gestão foi feita uma força tarefa para colocar a casa em ordem, procurando-se oferecer o mínimo de dignidade aos alunos e condições de trabalho aos professores e demais servidores da educação.

Algumas conquistas reivindicadas há anos, foram atendidas pela atual gestão, além de um índice de reajuste de vencimentos acima da inflação. Não se resolve os graves problemas da educação em apenas um ano e oito meses de gestão. É um processo continuado que conta com toda a boa vontade do prefeito, que no medido esforços para implantar melhorias na educação. No entanto, essa boa vontade esbarra nos limites impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

O que menos vai ajudar a solucionar o conflito é a atitude de pessoas que possam estar se deixando manipular por adversários da gestão Edivaldo Holanda Júnior. Torcem pelo quanto pior melhor.


Uma pergunta que não quer calar: os líderes da greve dos professores municipais estão a serviço de quem? Da educação, ou da oligarquia Sarney e do atraso? 

Advogados da Coligação de Flávio Dino participam de treinamento para fiscalização de eleição

Dezenas de advogados voluntários participam de treinamento  para atuar na fiscalização da eleição pela coligação Todos pelo Maranhão, comandada por Flávio Dino(PCdoB). O objetivo é acompanhar de perto todas as fases do processo, eliminando quaisquer possibilidades de fraude.
O advogado Rodrigo Lago, um dos participantes do treinamento, diz que a fiscalização vai começar na geração do software no TSE, depois, na carga e lacre das urnas em todas as zonas eleitorais.

“Por fim, no dia da votação, estamos tentando colocar um ou dois fiscais por seção eleitoral. E todo mundo treinado, muito bem treinado”, acentua Lago.

Para esse treinamento e acompanhamento foi contratada a assessoria do Amilcar Brunazzo, o maior especialista em urna eletrônica do Brasil.


Estão na linha de frente Eberto Magno, da coordenação geral, além dos advogados Antônio Nunes, Susan Lucena e Guilherme Zagallo, do jurídico.

A força do povo do Maranhão é maior que qualquer poder, diz Flávio Dino

Para acabar com a procissão para o Piauí em busca de atendimento de saúde, o candidato a governador da Coligação Todos pelo Maranhão, Flávio Dino, reafirmou o compromisso de melhorar o sistema público de saúde de São João dos Patos.

Essa foi uma das reivindicações feitas pela população. Um dos relatos veio de Joana D’arc da Silva, de 37 anos, que acompanhou a atividade com o filho de seis anos. Ela escolheu Flávio Dino por apresentar as melhores propostas para o Estado. “Quero mudança na saúde, mais médicos, mais hospitais. Sempre temos que buscar o Piauí porque a saúde aqui não está legal”, relatou.

De Flávio Dino, ela ouviu justamente o compromisso de melhorar os serviços públicos. O candidato voltou a destacar a beleza do Estado e o abandono das regiões. “Nós confiamos na força do povo do Maranhão, que é maior que qualquer poder”, enfatizou.

Sobre a saúde, Flávio assumiu o compromisso de investir na UPA, projeto do governo federal de pronto-atendimento, para que funcione de forma a resolver problemas da população. Além disso, apresentou outras propostas de governo, como o investimento em políticas sociais com a criação do Mais Bolsa Família, o complemento do piso dos agentes comunitários de saúde e o reforço na educação, com mais qualidade para professores e alunos.

Mudança para valer

Em São João dos Patos, durante carreata e caminhada, acenos e abraços fizeram parte da recepção aos candidatos. Nascimento de Oliveira, 27 anos, acompanhado da esposa, Mauricelia do Nascimento, e do filho de três anos, disse que a opção por Flávio Dino veio do histórico político e profissional. “Não é de agora que voto nele. Ele é o melhor candidato pela pessoa que é. E, só de ser professor, já é uma grande coisa”, destacou.

Para Roberto Rocha, chegou a hora da virada de página. Com todos os Estados em desenvolvimento, o Maranhão não pode ficar parado. Para isso, acredita que a população dará esse voto de confiança. “Eu e o Flávio estamos liderando as pesquisas, mas pesquisa é apenas intenção de voto. Para vencer, precisamos que os maranhenses garantam a vitória do Maranhão. Temos que mudar o nosso Estado e para isso temos que mudar a política”, analisou.

Filho da região do Sertão maranhense, o vice Carlos Brandão lembrou a unidade da oposição: “Fico orgulhoso de ser um vice representante dessa região. Chegou a hora do Maranhão. Basta do nosso Estado ser notícia só em casos penitenciários, de roubo, de mala com dinheiro. Esse grupo aqui é ficha limpa e vai trabalhar para fazer a mudança que o Maranhão precisa”, afirmou.

A atividade foi acompanhada por diversos candidatos a deputado federal e estadual da coligação

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Marina empata com Dilma na corrida presidencial, diz Datafolha

Ricardo Mendonça
Folha de S. paulo
de São Paulo 

Marina continua em ascensão e ameaça o favoritismo
de Dilma
Pesquisa Datafolha finalizada nesta sexta(29) mostra a presidente Dilma RoussefIPT) e a ex-ministra Marina Silva(PSB) numericamente empatadas na simulação de primeiro turno da eleição presidencial. Cada uma tem 34% das intenções de voto.

No teste de segundo turno, Marina seria eleita presidente da República com dez pontos de vantagem em relação à rival: 50% a 40%.

Os dados mostram fortalecimento da candidatura Marina. Em relação ao levantamento anterior do Datafolha, ela apresenta melhor desempenho nas simulações de primeiro e de segundo turno - a pesquisa antecedente foi feita imediatamente após a morte de Eduardo Campos, o candidato que encabeçava a chapa do PSB.

No intervalho de duas semanas entre os dois levantamentos, Marina cresceu 13 pontos no teste de primeito turno. Dilma oscilou 2 para baixo.
No embate final contra a petista, onde antes havia empate técnico no limite máximo da margem de erro, Marina foi de 47% para 50%, enquanto Dilma recuou de 43% para 40%,

O candidato do PSDB, Aécio Neves, caiu de 20% para 15% na simulação de primeiro turno. Num confronto final contra Dilma, ele perderia por 48% a 40%.

Juntos, todos os outros candidatos à Presidência somam 3%. Eleitores que pretendem votar nulo ou em branco totalizam 7%. Outros 7% estão indecisos.

O Datafolha também investigou as taxas de aprovação e reprovação do governo Dilma. Eleitores que julgam a administração boa ou ótima são 35% ante 38% na pesquisa anterior. A avaliação negativa (ruim ou péssimo) subiu de 23% para 26%. A taxa de regular oscilou de 38% para 39%.

O instituto ouviu 2.874 eleitores em 178 municípios nesta sexta e na quinta(28). A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Significa que em 100 levantamentos com mesma metodologia, os resultados estarão dentro da margem de erro em 95 ocasiões.

Em visita à OAB, coligação de Flávio Dino sugere criação de observatório das eleições

Representantes da coligação “Todos pelo Maranhão” reuniram-se com representantes da Ordem dos Advogados do Brasil para sugerir a participação da entidade no pleito eleitoral de 2014 como observadores e fiscalizadores das eleições deste ano. Em ofício dirigido ao presidente da seccional maranhense, Mário Macieira, a coligação destacou o papel da OAB na construção da Democracia.

Representantes da coligação que tem Flávio Dino como candidato a Governador reuniram-se com representantes da OAB-MA e relataram a preocupação com as eleições de 2014. O presidente do PCdoB-MA, Márcio Jerry, e o deputado estadual Marcelo Tavares (PSB) protocolaram o ofício convidando a OAB e outras entidades para acompanharem de perto o transcurso da disputa no mês que antecede o dia das eleições.

“O país tem na OAB uma referência da luta democrática e por isso convidamos a Ordem para acompanhar de perto as eleições deste ano que, infelizmente, tem sido marcada por ações baixas por parte da campanha adversária,” disse Márcio Jerry, que fez questão de ressaltar todo o interesse da coligação para que “o jogo democrático seja livremente jogado” também no Maranhão.

O deputado Marcelo Tavares lembrou ainda que a participação de entidades da sociedade civil é fundamental para evitar fraudes eleitorais. Em 2013, a Procuradoria Geral da República confirmou que a candidata do PMDB usou de práticas de abuso de poder político e econômico para fraudar as eleições de 2010. Na opinião do deputado, toda a sociedade maranhense deve estar vigilante para evitar que casos assim voltem a ocorrer no Maranhão.

Os representantes da coligação informaram ainda que visitarão outras entidades da sociedade civil organizada para participar ativamente da fiscalização das eleições no período que antecede o dia do pleito e durante a votação. A ideia da coligação é fortalecer os observatórios civis que evitem fraudes da vontade popular nas urnas. A visita contou com a presença o representante nacional do PCdoB, André Tokarski.

Observatório eleitoral

O presidente da OAB, Mário Macieira, confirmou que a entidade dos advogados já possui uma programação para acompanhar o desenrolar das eleições deste ano e que a entidade agirá como observadora para evitar fraudes em qualquer parte do processo eleitoral.

“Estaremos como parceiros do Ministério Público e da Justiça Eleitoral no acompanhamento do lacre das urnas, da geração da mídia e do transporte das urnas. Vamos fazer um observatório eleitoral, como já fizemos em outras oportunidades,” garantiu Macieira, ao lado dos conselheiros Hugo Passos e Murilo Salém. A advogada Susan Lucena representou a coligação “Todos pelo Maranhão”.

Renan Calheiros faz acordo para elevar remuneração de juízes

Presidente do Congresso se compromete com Lewandowski a acelerar votações que garantem aumento, gratificação e adicional para magistrados. Com mudanças, ministros do STF poderão receber até R$ 48 mil por mês

Congresso em Foco

O presidente do Congresso Nacional, Renan Calheiros (PMDB-AL), se comprometeu com o presidente recém-eleito do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, a aprovar propostas que elevarão a remuneração dos ministros da corte para até cerca de R$ 50 mil. Pelo acordo, o plenário do Senado deve aprovar, na próxima semana, durante o chamado esforço concentrado, um adicional por tempo de serviço que pode aumentar em até 35% a remuneração de magistrados e integrantes do Ministério Público. A proposta de emenda constitucional (PEC 63/2013) já foi examinada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e precisa passar em dois turnos pelo plenário.

Renan também prometeu se empenhar para que outros dois projetos de interesse dos juízes avancem na Câmara, presidida por seu companheiro de partido Henrique Eduardo Alves (RN). O primeiro deles pode ser aprovado pelos deputados também no esforço concentrado. Henrique incluiu na pauta do plenário proposta que cria a chamada gratificação de substituição para magistrados que acumularem funções por mais de três dias úteis. O benefício, incluído em outra proposição, foi vetado esta semana pela presidente Dilma. E pode engordar em até um terço o contracheque dos integrantes do Judiciário que atuarem, por exemplo, em mais de uma corte ou substituírem colegas em férias ou licença.

Aumento no Supremo

A terceira ponta do acordo costurado por Renan com os juízes é a aprovação do projeto que eleva, dos atuais R$ 29.462,25 para R$ 35.919, a remuneração dos ministros do Supremo – teto do funcionalismo público. Com efeito cascata para o restante da categoria, a proposta foi aprovada ontem (28) pelos ministros, que reivindicam um aumento de 22%. O texto começa a tramitar nos próximos dias na Câmara.

Segundo o ministro Ricardo Lewandowski, os cálculos levaram em conta as perdas acumuladas entre 2009 a 2013 e a projeção do Índice Nacional de Preços ao Consumidor – Amplo (IPC-A) para 2014. O aumento será proposto antes mesmo que o Congresso vote pedido de reajuste – fixando o subsídio de ministro do STF em R$ 30.658,42 – que o Supremo pretendia fazer valer a partir de janeiro de 2014.

Além do teto

Na prática, os dois novos benefícios permitirão que juízes, desembargadores e os próprios ministros dos tribunais ultrapassem o teto constitucional. Caso as propostas sejam aprovadas, um ministro do Supremo poderá receber, além dos R$ 35 mil de remuneração, até outros R$ 12.571,65 de adicional por tempo de serviço. Nesse caso, os vencimentos poderão chegar até a R$ 48.490,65.

Integrantes das três principais entidades representativas da magistratura vão se reunir com parlamentares no Congresso, na próxima semana, para tentar convencê-los a aprovar as propostas que, segundo eles, pretendem recuperar perdas salariais acumuladas na última década.

Deputados e senadores não devem criar dificuldades para o reajuste do Supremo. É que, a cada final de mandato, os parlamentares fixam a remuneração da legislatura seguinte. No final de 2010, por exemplo, eles igualaram os vencimentos dos congressistas que assumiram no início de 2011 aos dos ministros do Supremo. Caminho que deve ser repetido este ano. Atualmente, os congressistas recebem R$ 26.723,13 por mês, além de outros benefícios.

Discriminação

“A magistratura federal está preocupada com a forma discriminatória com que vem sendo tratada”, diz o presidente da Associação dos Juízes Federais (Ajufe), Antônio César Bochenek. Na última terça (26), a presidente Dilma vetou artigo de uma lei que instituiu a gratificação por substituição para integrantes do Ministério Público. Durante a tramitação da proposta no Congresso, foi incluído um dispositivo que estendia o benefício aos juízes. Ao sancionar a nova lei, Dilma deixou o benefício restrito a promotores e procuradores.

A presidente justificou que não havia previsão de recursos para a gratificação na lei orçamentária e que a Lei de Responsabilidade Fiscal impede a geração de despesa obrigatória de caráter continuado sem a estimativa de impacto orçamentário e financeiro e a demonstração da origem do dinheiro.

Diante do veto, os magistrados retomam suas atenções para a aprovação do Projeto de Lei 7717/2014, que institui a gratificação para os juízes federais. O texto é o oitavo item da pauta do plenário da Câmara no esforço concentrado. Já a PEC 63, que aguarda votação no plenário no Senado, cria uma “parcela mensal de valorização por tempo de exercício” que se traduz num acréscimo equivalente a 5% do subsídio a cada cinco anos de efetivo exercício em atividade jurídica – até o máximo de 35%.

Disparidade salarial

Para Bochenek, a gratificação e o adicional são necessários para evitar a “discriminação” e a disparidade salarial com o Ministério Público, contemplado com o primeiro benefício. Segundo ele, a Ajufe não ficou satisfeita com o reajuste proposto pelo Supremo. Na avaliação da entidade, a remuneração dos juízes tem 30% de defasagem em relação a 2006, quando foi instituído o atual modelo de remuneração, sem os penduricalhos que havia antes.

“A remuneração tem de ser digna e compatível com as funções de cada um. A magistratura tem uma grande responsabilidade funcional e social”, declarou o presidente da Ajufe ao Congresso em Foco. “Hoje um juiz recebe desde o início até o fim da carreira praticamente a mesma remuneração. É preciso haver estímulo até para não perdermos quadros”, acrescenta.

Contrariedade

O aumento e a garantia de novos benefícios para os magistrados já provocam descontentamento em outras categorias que também reclamam da disparidade salarial. É o caso dos procuradores federais, ligados à Advocacia-Geral da União (AGU). “Como advogados públicos federais, também exercemos funções essenciais da Justiça. Mas estamos vinculados ao Executivo”, reclama o presidente da Associação Nacional dos Procuradores Federais (Anpaf), Rogério Filomeno Machado.

Segundo ele, 20% dos aprovados no concurso para procurador federal desistem de tomar posse em razão do salário inicial, hoje em torno de R$ 16 mil. Bem abaixo dos cerca de R$ 25 mil iniciais pagos a promotores e juízes. “Deveríamos ter remuneração igual à da magistratura e à do Ministério Público”, defende Rogério.

Prefeitura de São Luís investe em ações de melhorias na infraestrutura da cidade

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Ministros do STF querem aumentar seus salários para R$ 35,9 mil

Reajuste eleva remuneração dos 11 ministros do STF, que serve de teto para o funcionalismo público, para quase 50 salários mínimos. Se confirmado, a correção de 22% vai gerar efeito cascata. Aumento tem de ser votado pelo Congresso


O presidente do Supremo, Ricardo Lewandowski, diz que o reajuste corrige perdas acumuladas desde 2009

Em sessão administrativa nesta quinta-feira (28), os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) aprovaram proposta de aumento dos próprios salários, de R$ 29.462,25 para R$ 35.919,00. A proposta de reajuste de 22% vai ser enviada ao Congresso, que poderá incluí-lo no orçamento da União para 2015. A justificativa para o aumento é recompor perdas inflacionárias. A remuneração desejada pelos ministros da corte máxima do Judiciário brasileiro representa quase 50 vezes mais do que o valor atual do salário mínimo.

Se o aumento for aprovado pelos parlamentares e sancionado pela presidente Dilma Rousseff, os ministros passarão a receber o novo salário a partir de 1º de janeiro do ano que vem. Pela Constituição Federal, a remuneração dos 11 ministros do STF é teto do funcionalismo público. Por isso, se confirmado, o aumento vai gerar efeito cascata, pois diversos ocupantes de cargos do próprio Judiciário, do Legislativo e do Executivo recebem salários com base na quantia fixada para os integrantes do Supremo.

Em nota publicada em seu portal, o Supremo informou que o reajuste foi aprovado por unanimidade. Segundo o presidente eleito do STF, ministro Ricardo Lewandowski, os cálculos levaram em conta as perdas acumuladas entre 2009 a 2013 e a projeção do Índice Nacional de Preços ao Consumidor – Amplo (IPC-A) para 2014.

O aumento será proposto antes mesmo que o Congresso vote pedido de reajuste – fixando o subsídio de ministro do STF em R$ 30.658,42 – que o Supremo pretendia fazer valer a partir de janeiro de 2014. O projeto se encontra em andamento na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados desde outubro de 2013.

Ao mesmo tempo, o STF encampa a aprovação da PEC 63/2013, em discussão no Senado. Ela cria um adicional por tempo de serviço para juízes e membros do Ministério Público que não devem ser considerados para efeito de cálculo do teto salarial. Ou seja: na prática, ela acaba com o teto para magistrados e membros do MP.

PCdoB apresenta à Polícia Federal nome de suposto responsável por boatos em redes sociais contra Flávio Dino

O presidente estadual do PCdoB, Márcio Jerry, acompanhado do advogado Carlos Lula, apresentou à Polícia Federal, na manhã desta quinta-feira(28), o nome do suposto responsável pela disseminação de boatos nas redes sociais contra o candidato Flávio. Pelos levantamentos feitos, o suposto responsável seria o servidor do governo Adailton Silva Soares Borba.

"Mediante a gravosidade do tema e os níveis inimagináveis a que chegou a campanha difamatória comandada pelo candidato Edinho Lobão e seus padrinhos políticos, informamos aos órgãos competentes o nome do senhor Adailton Silva Soares Borba para que este esclareça se foi o autor do texto calunioso. Em caso de negativa, informe de onde recebeu tal texto para que seja descoberta a origem primeira da calúnia e ela possa ser efetivamente punida", diz um trecho da nota.

Confira a íntegra da nota divulgada à imprensa.

Nota à imprensa

Sobre autoria e difusão de boatos nas redes sociais envolvendo Flávio Dino

Em face dos inúmeros boatos que circulam nas redes sociais contendo calúnias e difamações contra o candidato a Governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB), apresentamos à Polícia Federal e à Procuradoria Regional Eleitoral indícios de sua autoria e difusão.

Na tarde da última quarta-feira (27 de agosto de 2014), o superintendente da Secretaria Estadual de Direitos Humanos, Assistência Social e Cidadania, senhor Adailton Silva Soares Borba, registrou em um grupo de whatsapp que reúne diversos jornalistas maranhenses mais um dos boatos espalhados pela campanha do senhor Edinho Lobão para tentar macular a imagem e a honra de Flávio Dino.

É sabido que fatos como este configuram crime tipificado no Código Eleitoral pelo art. 324 (Lei 9.504/97). “Caluniar alguém, na propaganda eleitoral, ou com fins de propaganda, imputando-lhe falsamente fato definido como crime”, diz a letra da lei, que determina como pena de seis meses a dois anos de prisão. No parágrafo 1º deste artigo, a lei imputa o mesmo crime a quem difundir e divulgar a calúnia, sabendo-a inverídica.

Mediante a gravosidade do tema e os níveis inimagináveis a que chegou a campanha difamatória comandada pelo candidato Edinho Lobão e seus padrinhos políticos, informamos aos órgãos competentes o nome do senhor Adailton Silva Soares Borba para que este esclareça se foi o autor do texto calunioso. Em caso de negativa, informe de onde recebeu tal texto para que seja descoberta a origem primeira da calúnia e ela possa ser efetivamente punida.

Apresentamos ainda o endereço onde o referido membro do Governo do Estado nomeado pela senhora governadora Roseana Sarney pode ser encontrado para prestar os esclarecimentos devidos à sociedade maranhense.

O PCdoB e todos os partidos que compõem a coligação “Todos pelo Maranhão” acreditam no trabalho da Polícia Federal e da Procuradoria Regional Eleitoral para investigar, apurar e elucidar a origem de boatos espalhados de forma criminosa, com o único intuito de confundir a opinião pública e com isso tentar reverter a desvantagem eleitoral em que o candidato Edinho Lobão se encontra.

Márcio Jerry Saraiva Barroso
Presidente Estadual do PCdoB – Maranhão
Representante legal da coligação “Todos pelo Maranhão”

Imóvel onde funciona o comitê central de Lobão Filho sofre ação de despejo


A aposentada Lenita Lago Bello, proprietária do imóvel onde funciona o principal comitê do candidato a governador do Maranhão, Lobão Filho, no Parque Atlântico, área do Olho D´Água, moveu uma ação de despejo na 16ª Vara Cível de São Luís contra a imobiliária Cantanhede & Cantanhede Ltda. Lenita Bello solicita a devolução do imóvel, que, segundo ela, está sendo cedido à campanha eleitoral do peemedebista de forma irregular. O pedido, que foi feito à Justiça no dia 19 de agosto, inclui, também, pagamento do valor de mensalidades correspondentes ao uso da casa.

Localizado na Rua Albatrozes, 05, Parque Atlântico, o comitê de Lobão Filho foi inaugurado nos primeiros dias de campanha. No entanto, a proprietária afirma na ação que a utilização do imóvel para a campanha fere o contrato feito entre ela e a imobiliária.

Antes de ser cedida à campanha de Lobão Filho, a casa foi alugada por três anos à imobiliária Cantanhede & Cantanhede. O contrato venceu em 4 de julho de 2014 e a proprietária afirmou não ter interesse em renovar o aluguel.

Segundo Lenita, ao pedir as chaves do imóvel aos empresários Valter e Wemerson Cantanhede, estes não as repassaram. Dias depois, ela foi informada de que o imóvel seria usado na campanha do PMDB. A proprietária disse que procurou a coordenação da campanha de Lobão Filho para reaver a posse do imóvel, mas foi informada de que nele já estava sendo montada toda a estrutura de campanha do candidato apoiado pelo governo, e que teve a informação de que a casa teria sido doada pela imobiliária à campanha. Ela informou à Justiça não ter nenhum contrato vigente com a empresa ou com a campanha de Lobão Filho.

“Isso é uma invasão. A casa está um pardieiro. Está lá, com o comitê, mas invadiram, porque não cedi o imóvel nem para a empresa nem para a campanha”, disse Lenita.

Além do pedido de despejo, Lenita Belo pede o ressarcimento dos débitos anteriores, que somam R$ 52.372,58.

A ‘doação’ do comitê não está registrada na primeira parcial da prestação de contas apresentada pela coligação de Lobão Filho à Justiça Eleitoral, disponível para consulta no site do Tribunal Regional Eleitoral.

Além destes pedidos, Lenita afirma que a empresa que alugou seu imóvel por três anos deixou de pagar o IPTU à Prefeitura de São Luís. O débito com o imposto municipal, segundo a proprietária, é de R$ 22.373,00.

OSTENTAÇÃO! Paulinha Lobão exibe helicóptero no Facebook antes de sobrevoar a pobreza do MA

A caminho de São Vicente de Ferrer, município com o pior PIB per capita do Brasil, Paulinha posa para foto com helicóptero e ainda deseja bom dia 

Do blog da Lígia Teixeira

A apresentadora de TV e esposa do candidato do PMDB ao governo, Edinho Lobão Filho, postou foto ao lado de um helicóptero com um imenso adesivo onde se lê o número de Edinho. Na foto, publicada em seu Instagram hoje cedo (27) , Paulinha deseja bom dia aos seguidores e diz que seguirá a bordo do helicóptero para a cidade de São Vicente de Ferrer.

Desde o início da campanha, chamo a atenção para os arroubos da esposa de Edinho. Bastou criticar a reunião promovida por ela com mulheres da alta sociedade maranhense, para que os blogueiros de aluguel do sistema de comunicação do grupo Sarney-Lobão gritassem dizendo tratar-se de preconceito contra a mulher.

A verdade é que Paulinha Lobão, a exemplo do marido, gosta de ostentar. Foi assim que ela e Edinho sempre se comportaram, fazendo questão de exibir bens de consumo e estilos de vida caros. Foi por isso que a reunião política com as mulheres, feita para dar a impressão de apoio popular feminino à candidatura de Edinho, repercutiu tão mal.

Com a foto do helicóptero, a apresentadora volta à condição de esposa rica a ostentar. O problema é que a ostentação em época de campanha eleitoral contrasta com a realidade de extrema pobreza dos municípios para onde ela viaja. São Vicente De Ferrer, município da Baixada Maranhense para onde a apresentadora viajou à bordo de seu helicóptero, é um dos mais pobres do Maranhão.

Segundo o IBGE, São Vicente Ferrer está no topo do ranking das cidades com menor PIB per capita do país, que é a soma de tudo que é produzido pela economia do local, dividido pelo número de habitantes. A 280 quilômetros de São Luís, a cidade tem pouco mais de 20 mil habitantes, nenhuma indústria e 170 lojas, a base da economia na área urbana do município, que sobrevive basicamente da produção de farinha de mandioca em roças. Em 2011, o Jornal Nacional chegou a fazer uma matéria sobre a situação de calamidade no município VEJA AQUI

Escárnio e deboche o fato de Paulinha ostentar um helicóptero durante a campanha eleitoral, sobretudo se pensarmos de onde vem a riqueza ostentada por ela e pelo marido.

Pra que isso, Paulinha Lobão?

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

PCdoB comprova envolvimento de servidor nos boatos contra Flávio Dino



O presidente do PCdoB no Maranhão, Márcio Jerry, apresentará, nesta quinta-feira, 27, provas do envolvimento de servidor do governo do Estado na divulgação de boatos contra Flávio Dino.

Jerry levará essas provas à Superintendência da Polícia Federal em São Luís, às 10h. O desmentido de um desses boatos já está em um vídeo da propaganda eleitoral.

Assista ao vídeo para entender o caso: http://youtu.be/FywjFAkdbas


ONG anticorrupção Transparência Brasil cita Edinho Lobão como candidato Ficha Suja


Projeto “Quem Quer Virar Excelência” mostra que Edinho responde a processo por formação de quadrilha, crime contra a ordem tributária, falsidade ideológica e uso de documento falso. 

Um projeto lançado pela ONG Transparência Brasil mapeou a ficha de todos os candidatos a governador nas eleições deste ano. O resultado foi que quatro em cada dez candidato em todo o país são alvo de processo na Justiça ou em Tribunais de Contas, como mostra reportagem de O Estado de S. Paulo desta segunda-feira. São 63 dos 165 postulantes.

Um desses 63 é Edinho Lobão (PMDB), candidato a governador do Maranhão.

O projeto Quem Quer Virar Excelência, da Transparência Brasil, mostra que ele é alvo de inquérito que apura crimes contra a ordem tributária, formação de quadrilha, falsidade ideológica e uso de documento falso.

Esse inquérito pode ser visto na página do Supremo Tribunal Federal. É o de número 2768, de autoria do Ministério Público contra Edinho Lobão. O inquérito está sendo analisado pelo ministro Dias Toffoli.

Em debate com médicos, Flávio Dino firma compromissos e elimina boatos

Flávio Dino em debate com classe médica
Além da exposição de propostas e troca de ideias, o debate de Flávio Dino com médicos na noite desta terça-feira (26) serviu também para elucidar dúvidas e eliminar boatos em relação ao que o candidato defende para a saúde do Maranhão. O resultado foi extremamente positivo e já ficou definido que, se eleito em outubro, Flávio vai se reunir novamente com a categoria para definir prioridades.
O encontro foi organizado pelo Conselho Regional de Medicina (CRM). Flávio expôs um diagnóstico da área da saúde e falou sobre algumas de suas propostas. Entre elas, a de adotar a carreira de Estado para os médicos, como já acontece com os juízes. Isso tornará a carreira atrativa e vai garantir a presença de profissionais em todas as regiões.
A reação dos profissionais ao fim da reunião foi inequívoca. “Está todo mundo aqui com vontade de votar em você”, resumiu o médico Ubirani Nascimento, sendo aplaudido pelos demais presentes. Ubirani lembrou que a casa estava cheia para conversar com Flávio.
Hospitais
Flávio também reafirmou seu compromisso de resgatar os hospitais abandonados, construir novas unidades e manter os que estão em funcionamento.
“Alguns hospitais foram inaugurados e não funcionam, alguns funcionam, alguns foram abandonados e temos muitas obras abandonadas no interior do Maranhão”, resumiu. “Ao mesmo tempo continuamos com o problema estrutural de carência de profissionais.”
Para suprir essa carência, Flávio afirmou que, além da carreira de Estado para os médicos, haverá medidas como o reforço na residência e mais cursos de Medicina.
Propostas bem recebidas
Durante as três horas de encontro, o candidato foi frequentemente aplaudido pelos médicos, num sinal de convergência com as propostas. Os profissionais também contaram suas experiências e deram depoimentos da dura realidade que enfrentam hoje.
As dificuldades incluem precárias condições hospitalares, falta de incentivo, problemas trabalhistas e desvalorização da carreira. “O médico é o começo de tudo”, disse Flávio ao reafirmar seu compromisso com a categoria.
Flávio ressaltou que todas as medidas referentes aos médicos serão tomadas em conjunto com os profissionais. “Se a gente quer virar a página da política maranhense, a gente não vai trocar de coronel; a gente vai substituir o coronel. Todas as decisões serão pactuadas.”
Boatos criminosos
O candidato também teve a oportunidade de afastar os boatos promovidos pela campanha da baixaria de que tem sido alvo. No último fim de semana, por exemplo, foram espalhados panfletos criminosos atribuindo a ele declarações sobre a área da saúde que ele jamais fez. A Polícia Federal já foi acionada para investigar o caso.
“Peço a vocês que verifiquem o que estamos propondo. Esse é o caminho para enfrentar a inquietação fabricada. Nosso programa está registrado na Justiça Eleitoral”, ressaltou.
Flávio também tomou a iniciativa de produzir uma Carta aos Médicos, com as propostas e os compromissos do candidato para a saúde e a categoria.

Procurador diz não à criminalização de jornalistas que divulgam grampos da PF

FAUSTO MACEDO
o estado de s. paulo

Pedro Barbosa manifestou-se contra indiciamento de dois repórteres da Rede Globo

“A efetiva liberdade de informação jornalística, notadamente num país que já sofreu as agruras de uma ditadura militar, é instrumento fundamental para consolidação da sociedade democrática e pluralista”, alertou o procurador regional da República em São Paulo, Pedro Barbosa Pereira Neto, ao se manifestar contra o indiciamento dos jornalistas Maurício Ferraz e Bruno Tavares, da Rede Globo, por causa da divulgação de interceptações telefônicas em uma reportagem sobre escândalo na área da saúde pública.
O parecer do procurador tem importância extraordinária porque afasta os jornalistas da mira de autoridades que querem atribuir-lhes responsabilidade por violação de escutas telefônicas.
“O crime de quebra de segredo de justiça é próprio, eis que restrito às pessoas que têm acesso legítimo ao procedimento da interceptação”, adverte Pedro Barbosa.
Em maio de 2013, os dois jornalistas fizeram amplo trabalho de reportagem em Campo Grande (MS). Divulgada pelo programa Fantástico, a reportagem mostrou que o Sistema Único de Saúde (SUS) pagou por suposto tratamento de um menino, um mês depois da morte dele.

Os jornalistas revelaram sessões de quimioterapia em pacientes que já tinham morrido e cobrança por tratamento contra o câncer que nunca foi realizado, além do fechamento do setor de radioterapia de um hospital público para beneficiar clínicas particulares.
Eles divulgaram grampos telefônicos, gravações de diálogos entre investigados.
A reportagem mostrou detalhes do levantamento realizado pela Polícia Federal, Procuradoria da República e Controladoria Geral da União, que deflagraram a Operação Sangue Frio.

Maurício Ferraz e Bruno Tavares, repórteres experientes e respeitados, tornaram-se alvos do inquérito número 0196/2013 que a PF abriu para apurar a suposta violação do artigo 10 da Lei nº 9.296/96, que dispõe sobre escuta telefônica.
Durante as investigações, a PF determinou o indiciamento de Maurício e Tavares.
Contra essa medida, que não chegou a ser concretizada, três advogados da Globo – Eduardo Muylaert, Sylas Kok Ribeiro e Alexandre Leão Noal -, impetraram habeas corpus na Justiça Federal em Campo Grande, sustentando que os repórteres “não quebraram o sigilo dos autos do inquérito policial, mas, simplesmente, divulgaram tais informações cumprindo o papel de jornalistas”.

Em primeiro grau, a Justiça denegou a ordem, ou seja, não vetou o indiciamento alegando que “embora vigore no Brasil a liberdade de imprensa, não há direitos absolutos na Constituição Federal”.
O pedido de habeas corpus seguiu, então, para o Tribunal Regional Federal da 3.ª Região (TRF3), localizado em São Paulo, mas com jurisdição também no Mato Grosso do Sul.
Pedro Barbosa Pereira Neto, procurador regional da República, foi enfático em sua manifestação contra o indiciamento. “A circunstância provada de que os jornalistas estavam à busca da informação e que efetivamente tiveram acesso ao material sigiloso tanto que parte das escutas foram veiculadas na TV Globo não autoriza o entendimento de que foram eles que quebraram o sigilo.”
“À primeira vista o jornalista que apenas divulga o conteúdo de interceptação telefônica sem qualquer prova de que ele mesmo tenha concorrido para a quebra do sigilo não comete o delito em questão”, assinala o procurador.
Para Pedro Barbosa, “o crime de quebra de segredo de justiça é próprio, eis que restrito às pessoas que tem acesso legítimo ao procedimento da interceptação”.
“Mesmo para aqueles que entendem que se trata de crime comum cogitam da hipótese de qualquer pessoa invadir o ofício judicial ou policial para acessar os dados sigilosos, o que decididamente não é o caso dos autos”, argumenta o procurador regional da República.

Pedro Barbosa considera que “não é possível aceitar a visão simplista adotada no inquérito policial 0196/2013 de que, tendo os jornalistas tido acesso e publicado matéria que veiculou informações que faziam parte de um processo sigiloso, cometeram por via de consequência o crime de quebra de sigilo previsto no artigo 10 da Lei 9.296/96″.
“Certo, não se ignora uma certa banalização do segredo judicial numa quadra em que interceptações telefônicas são expostas as mais das vezes em horário nobre na televisão brasileira”, sustenta o procurador. “Mas é preciso ter presente que não é possível pôr cobro a esse quadro de coisas com a criminalização indiscriminada de jornalistas, o que prejudicaria, em consequência, a própria garantia institucional da democracia representada pela liberdade de imprensa.”
Para Pedro Barbosa, “isso sem dúvida afetaria de forma insuportável um valor fundamental do Estado democrático de direito, em caso clássico em que o remédio é pior que a doença”.
“É necessário dizer também que se houve a divulgação de dados sigilosos é porque antes ocorreu a quebra do sigilo por pessoas vinculadas ao sistema de justiça, o que mostra claramente um grave déficit de funcionamento do sistema e que precisa ser resolvido com o emprego de tecnologia que registre e restrinja o acesso de pessoas aos dados sigilosos e, evidentemente, com a efetiva punição daquele (s) que entregou o material objeto da quebra de sigilo aos meios de comunicação”, pondera Pedro Barbosa.
Ele destaca que esse não é um tema de natureza doméstica. “Diversas democracias têm enfrentado a mesma temática. A Corte Europeia de Direitos Humanos em 2011 condenou o Estado de Portugal pelo fato de ter responsabilizado criminalmente uma jornalista que divulgou informação protegida pelo segredo de justiça”, relata o procurador.
Segundo ele, a Corte Europeia reconheceu que os jornalistas têm de respeitar a reputação das pessoas e evitar a divulgação de informação sigilosa, “mas considerou que qualquer decisão sobre isso deve levar em conta a liberdade de expressão e o interesse da sociedade naquilo que foi divulgado”.
procurador regional da República em São Paulo, Pedro Barbosa Pereira Neto
procurador regional da República em São Paulo, Pedro Barbosa Pereira Neto

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Conta de energia terá aumento médio de 24% em 217 municípios do Maranhão


A conta de luz para consumidores residenciais dos 217 municípios maranhenses atendidos pela Companhia Energética do Maranhão (Cemar) será reajustada em 22,25%

A conta de luz para consumidores residenciais dos 217 municípios maranhenses atendidos pela Companhia Energética do Maranhão (Cemar) será reajustada em 22,25%. Para os consumidores de baixa tensão, o aumento médio ficará em 24,11%. Nesse grupo estão incluídos, além dos residenciais e de baixa renda, unidades rurais e de serviços públicos, inclusive de iluminação. O aumento, autorizado hoje (26) pela diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), entra em vigor no dia 28 de agosto.

Para os consumidores de alta tensão, o reajuste chegará a 24,16%. Com isso, o efeito médio de reajuste a ser percebido pelos Invalcançará 24,12%. O aumento será aplicado a cerca de 2,1 milhões de unidades consumidoras localizadas no estado. Entre os fatores citados pela Aneel como influentes para o reajuste estão os gastos que a distribuidora teve com compra de energia, transmissão e pagamento de encargos setoriais.

Além desses, é considerada justificativa para o aumento a variação de custos que a empresa teve no ano – cálculo que inclui custos típicos da atividade de distribuição, sobre os quais incide o Índice Geral de Preços-Mercado e outros gastos. As informações são da Agência Brasil.

do site Investimentos e Notícias

Coordenador da campanha de Flávio Dino pede investigação de origem de boatos espalhados contra o candidato


Deputado Marcelo Tavares
Foi o deputado estadual Marcelo Tavares (PSB) quem deu entrada no pedido de investigação dos boatos espalhados pelas redes sociais contra Flávio Dino (PCdoB), candidato a governador em oposição ao grupo Sarney.

Marcelo Tavares foi à sede da Polícia Federal em São Luís registrar o pedido de investigação dos crimes cibernéticos cometidos pela campanha opositora. Por meio de mensagens escritas com frases falsamente atribuídas a Flávio Dino, a rede foi tomada por um boato que tinha por objetivo caluniar o candidato da oposição.

No pedido de investigação, o coordenador da campanha de Flávio Dino pede que a Polícia Federal investigue a relação da campanha de Edinho Lobão com os boatos espalhados contra o candidato do PCdoB, líder nas pesquisas. O representante da coligação de Edinho, Remi Ribeiro, foi apontado pela coligação como um dos possíveis responsáveis pela prática do crime eleitoral.

“Confiamos no trabalho da Polícia Federal para investigar os responsáveis por essa campanha suja. Somente os que têm medo de perder o poder acumulado em 50 anos são capazes deste tipo de ação sórdida, usando mentiras para atacar o adversário,” disse Marcelo Tavares na visita à sede da PF.

As mensagens faziam referência a um suposto discurso de Dino na cidade de Caxias. As mensagens foram distribuídas na tarde de sábado.

No último final de semana, Dino foi alvo de ataques nas redes sociais através de mensagens espalhadas por facebooks e whatsapps, viralizadas com o intuito de prejudicá-lo. Ao tomar conhecimento das mensagens, Dino desmentiu de pronto através de seu perfil pessoal no twitter e atribuiu a “onda de calúnias” à campanha do PMDB, que não continua atrás nas pesquisas.

Marina Silva lidera no segundo turno e candidatura de Dilma acende o sinal vermelho

Marina cresce e preocupa PT
Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (26) aponta Dilma Rousseff (PT) com 34% das intenções de voto para presidente da República e Marina Silva (PSB), com 29%. O candidato do PSDB, Aécio Neves, tem 19%, seguido de Pastor Everaldo (PSC) e Luciana Genro (PSOL), com 1% cada um. Os outros seis candidatos somados acumulam 1%.

O levantamento indica que, em um eventual segundo turno entre Dilma Rousseff e Marina Silva, a ex-senadora teria 45% e a atual presidente, que tenta a reeleição, 36%.

Encomendada pela TV Globo e pelo jornal "O Estado de S. Paulo", a pesquisa é a primeira do Ibope com Marina Silva como candidata do PSB.

No levantamento anterior do instituto, divulgado no último dia 7, o candidato do partido ainda era Eduardo Campos, que morreu em acidente aéreo no último 13. Naquela pesquisa, Dilma tinha 38%, Aécio, 23%, e Campos, 9%. Entre uma pesquisa e outra, a taxa de indecisos passou de 11% para 8%, e a de quem pretende votar em branco ou nulo, de 13% para 7%.

Confira abaixo os números na modalidade estimulada da pesquisa (em que o pesquisador apresenta ao entrevistado um cartão com os nomes de todos os candidatos):

- Dilma Rousseff (PT): 34%
- Marina Silva (PSB): 29%
- Aécio Neves (PSDB): 19%
- Luciana Genro (PSOL): 1%
- Pastor Everaldo (PSC): 1%
- José Maria (PSTU): 0%*
- Eduardo Jorge (PV): 0%*
- Rui Costa Pimenta (PCO): 0%*
- Eymael (PSDC): 0%*
- Levy Fidelix (PRTB): 0%*
- Mauro Iasi (PCB): 0%*
- Brancos/nulos/nenhum: 7%
- Não sabe: 8%

* Cada um dos seis indicados com 0% não atingiu 1% das intenções de voto; somados, eles têm 1%

O Ibope ouviu 2.506 eleitores em 175 municípios entre os últimos sábado (23) e segunda-feira (25). O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00428/2014.

Espontânea

Na modalidade espontânea da pesquisa (em que o pesquisador somente pergunta ao eleitor em quem ele pretende votar, sem apresentar a relação de candidatos), o resultado foi o seguinte:

- Dilma Rousseff (PT): 27%
- Marina Silva (PSB): 18%
- Aécio Neves (PSDB): 12%
- Outros: 2%
- Brancos/nulos/nenhum: 12%
- Não sabe: 28%

Segundo turno
O Ibope simulou os seguintes cenários de segundo turno:

- Marina Silva: 45%
- Dilma Rousseff: 36%
- Brancos/nulos/nenhum: 9%
- Não sabe: 11%

- Dilma Rousseff: 41%
- Aécio Neves: 35%
- Brancos/nulos/nenhum: 12%
- Não sabe: 12%

Rejeição

Dentre os 11 candidatos a presidente, Dilma Rousseff tem a maior taxa de rejeição (percentual dos que disseram que não votam em um candidato de jeito nenhum). Veja os números:

- Dilma Roussef: 36%
- Aécio Neves: 18%
- Pastor Everaldo: 14%
- Zé Maria: 11%
- Marina Silva: 10%
- Eymael: 9%
- Levy Fidelix: 9%
- Luciana Genro: 8%
- Rui Costa: 7%
- Eduardo Jorge: 7%
- Mauro Iasi: 6%

Avaliação do governo

A pesquisa mostra que a administração da presidente Dilma tem a aprovação de 34% dos eleitores – no levantamento anterior, divulgado no último dia 7, o índice era de 32%. O percentual de aprovação reúne os entrevistados que avaliaram o governo como "bom" ou "ótimo".

A pesquisa mostra ainda que o índice dos que desaprovam a gestão, ou seja, consideram o governo "ruim" ou "péssimo", é de 27% (31% no levantamento anterior). Consideram o governo "regular" 36% (na pesquisa anterior, 35%).

O resultado da pesquisa de avaliação do governo Dilma foi o seguinte:
- Ótimo/bom: 34%
- Regular: 36%
- Ruim/péssimo: 27%
- Não sabe: 2%

do G1
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...